Na corrida ao Palácio Iguaçu, o deputado estadual Ratinho Júnior (PSD) sai na frente. Deixa a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Governo do Estado, mas não descola do governador Beto Richa (PSDB), o qual quer como aliado e até com indicação de vice na chapa. Não há quem tire da cabeça do “moleque” a pretensão de governar o Estado. Nem mesmo o seu pai, o comunicador Carlos Massa (Ratinho), que gostaria de ver o filho no Senado Federal conseguiu demovê-lo da ideia. Nem mesmo conseguiu fazer com que deixasse o apelido de “Ratinho Júnior” já que um batalhão de pessoas acreditam que o paranaense não vota em “rato” ou apelido do gênero. Júnior tem personalidade própria.

ratinho junior

Ratinho Júnior está na estrada há muito tempo trilhando os caminhos do Palácio Iguaçu. Na Sedu, espalhou obras para os quatro cantos do Estado e, em nenhum momento, deixou de creditar as ações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano ao governador Beto Richa. Não traiu, pelo contrário, foi fiél até o último minuto, mesmo sabendo que Richa teria compromissos com a vice-governador Cida Borghetti (PP), esposa do ministro da Saúde, Ricardo Barros, que também está em campanha pelo Estado, embora não tenha se desvinculado do Palácio Iguaçu. Corre ainda em busca de apoio de Richa, o ex-senador Osmar Dias (PDT), também pré-candidato ao Governo do Estado, observado de perto pelo irmão senador e candidato à Presidência da República, Alvaro Dias (Podemos).

 

Em entrevista na tarde desta terça-feira, Ratinho Júnior disse que terminou seu ciclo na Sedu e que embora tenha saído do governo em meio à crise, todas as denúncias relativas à administração pública devem ser investigada. O deputado se referia à Operação Quadro Negro que, literalmente, emparedou o governador Beto Richa. Sobre as votações na Assembleia Legislativa onde alguns deputados do seu partido não votaram com o governo, lembrou que sempre houve liberdade nesta questão e que ninguém era obrigado a fazer o que não desejasse.

Ratinho Júnior adiantou que está preparando uma agenda política com vistas à sua campanha ao Governo do Estado e que a política deve ser repensada. “Nós podemos ser uma esperança”, observou, citando um de seus projetos futuros: o de resíduos sólidos. Mais uma vez o candidato ao Palácio Iguaçu reiterou seu desejo de ter apoio não apenas do governador Beto Richa, mas de todas as pessoas e disse entender que muitos desses apoios dependem de um plano maior, ou seja, Brasília.

Em relação a um nome para vice, Ratinho Júnior observou que ainda é muito cedo e lembrou que a legislação eleitoral não está definida. Ao responder uma pergunta sobre a também candidata palaciana, Cida Borghetti, disse que “todos tem o direito de elaborar seu plano de governo e que as decisões sobre coligações serão levadas adiante somente com a definição dos deputados federais sobre a nova lei eleitoral”. Ratinho Júnior afirmou que não vai se licenciar da Assembleia Legislativa para disputar o Palácio Iguaçu. “Vou até o fim”. Hoje mesmo ele participou da sessão.

O candidato ao Governo do Estado lembrou que durante sua carreira como deputado estadual e federal buscou construir um projeto pensando no Estado e não m castas. Sobre assinaturas que faltam para a instalação de uma CPI para investigar denúncias contra Richa, disse que faltando oito meses para o início de uma eleição isto se torna bravata. “É melhor que a polícia, o Ministério Público e o judiciário façam o seu trabalho”.

PRIMEBURGUER
PainiAdvogado
FERNANDO LINO
JR Lava Jato

Who's Online 

Temos 34 visitantes e Nenhum membro online

redezabini
Deposito Japura01
NICOLASGAZS1

Rádio Qcnews

Scroll to top